top of page
  • Leonardo Aguirre

Desafio zerar 50 jogos: Assassin's Creed Valhalla


Assassin's Creed Valhalla

Inspirado pela Feefinha, eu resolvi participar do projeto 50 jogos que consiste em zerar 50 jogos no ano.

Porém, minha intenção era ser mais "hardcore": ao invés de zerar 50 jogos, eu ia platinar 50 jogos, e nada melhor que um jogo de Assassins Creed para começar o projeto.

Então, minha review sobre o jogo será dividida em: história principal, missões secundárias, exploração e as conquistas.

 

História principal de Assassin's Creed Valhalla

Eu comecei o jogo já empolgado por ser sobre os vikings, porém um pouco receoso devido ao mapa, já que possivelmente seria na Dinamarca ou na Noruega, enfim, os países que eles ocuparam inicialmente.

Mas, por que receoso? Pois é um mapa coberto de neve, então a exploração que é algo que eu gosto bastante seria bem complicada, e adivinha? A história do jogo começa na Noruega.

De início foi uma história bem tranquila, me identifiquei com a protagonista Eivor e até a parte do Animus que normalmente é a mais chatinha tava bem legal, só achei meio sem sentido o jogo dar a possibilidade de escolhermos entre a versão feminina que é a "oficial" da história do jogo, ou a versão masculina, mas enfim.

Explorei um pouco do mapa da Noruega ali nas redondezas onde estava a história principal, nada muito surpreendente, até que do nada o "irmão" da protagonista resolve ir pra Inglaterra.

Eu não estava esperando essa ida, pensei que o jogo inteiro seria na Noruega ou no máximo nos países nórdicos, então na hora fiquei empolgado.

Toda a viagem de dracar, as primeiras impressões sobre a Inglaterra, a construção do nosso povoado foi muito lindo, e aí começou a parte de formar alianças.

No início eu fui explorando o mapa enquanto fazia a história principal, mas era muita coisa, então chegou ali próximo à metade do jogo e resolvi fazer a exploração como algo após realizar a conquista dos territórios da Inglaterra. Exemplo: fiz aliança com Hampshire, vou e exploro.

E, por que resolvi fazer isso só na metade do jogo? Porque no início a história tava me prendendo, ora conheci até os filhos de Ragnar, mas depois a história foi se tornando massante, a única parte que realmente me interessava era quando se tratava da ordem dos Anciãos.

Chegando mais ao final da história, eu já esperava que alguém da batalha contra o rei Alfred fosse morrer, porém, não esperava que fosse 3 de uma vez, então pensei: "a Eivor vai querer estraçalhar o Alfred" aí adivinha? Não fez nada, literalmente nada, só venceu a batalha, o Alfred sumiu e ficou por isso, mais calma que tem mais, falarei sobre isso nas conquistas.

Ah e detalhe: o Sigurd doidão das ideias e o Basim no final, só a misericórdia.

Então da história principal de Assassin's Creed dou 4 estrelas de 5, acredito que se fosse mais curta seria melhor aproveitada e se tivesse desenvolvimento de mais personagens teríamos um apego maior a eles.


 

Missões secundárias de Assassin's Creed Valhalla

Aqui é importante pontuar que há uma diferença entre as missões secundárias e os mistérios, pois cada região possui seus mistérios, que ora são missões, ora são puzzles, já as missões secundárias são provenientes da história principal.

De todas as missões secundárias, as únicas que gostei foram referentes à ordem dos Anciões, com exceção da busca pelo Gorm na Vinlândia.

A maioria das missões secundárias são referentes aos antepassados da Eivor, ou seja, vamos até Asgard por meio de uma poção e depois da mesma forma vamos a Jotunheim.

Cara, sério, eu não tive a menor vontade de explorar esses dois mapas, só queria sair de lá o mais rápido possível, por dois motivos: Assassin's Creed não sabe trabalhar mitologia, e segundo, são lugares horríveis para se explorar, tem muitos penhascos, gelo, enfim, quando jogarem vocês vão entender;

Teve duas missões secundárias que eu não completei: a do desafio de maestria e das incursões fluviais, pois já estava saturado do jogo, talvez quando chegarem as DLCs no GamePass de graça eu faça elas.

Então aqui também dou nota 4 para as missões secundárias.


 

Exploração


Assassin's Creed Valhalla

Explorar o mapa da Inglaterra no início é muito satisfatório, o que eu mais gostava eram as incursões aos monastérios. Vendo os mapas tudo preenchido, era ótimo para quem gosta de explorar cada cantinho.

Mas, conforme foi se aproximando do final, os últimos mapas foram se dificultando, não num sentido geral, e sim em um ponto específico: os moledros.

Moledros são uma prática vikings de empilhar pedras sem deixá-las cair, até atingir determinada altura.

Porém, no jogo precisa de muita paciência e mesmo vendo vídeos no YouTube é muito difícil de conseguir, os últimos exigiam alturas impossíveis de se conseguir, e aquilo foi minando minha paciência de uma tal forma que simplesmente desisti de platinar, apenas fazia tudo menos ele.

Outra coisa que achei muito sem sentido e que não dava nada, nem ponto de habilidade: as anomalias do Animus, a última eu simplesmente larguei mão.

Mas tirando esses dois puzzles eu amei a exploração, claro, tinha uns que eram bem mais difíceis como os tesouros britânicos, mas é só assistir vídeo de exploração no YouTube que você pega de boa.

Então aqui vai 4,5 de 5 estrelas para a exploração.


 

Conquistas

Como havia dito no início da review, eu pretendia platinar Assassin's Creed Valhalla, porém, como puderam perceber ao longo do post essa vontade foi minando aos poucos, até que concluí o jogo com 30 das 92 conquistas disponíveis no Xbox. Seria mais se o jogo tivesse as 3 DLCs liberadas, mas não tem.

De todas as que eu me empolguei em fazer foram: derrotar todos os membros da ordem dos Anciãos e pegar a Excalibur.

E lembra que comentei que o Alfred some após a batalha? Pois é, alerta de spoiler se ainda não jogou, ele era o líder da ordem dos Anciões, mas calma que jogando você vai entender como chegou a isso.

Então aqui é a única área que dou 5 estrelas, ia tirar meio ponto porque acredito que se deixasse as conquistas por área ou setor tipo "colete todas as riquezas da Inglaterra" ficaria melhor, mas deixa assim mesmo.


 

Nota final para Assassin's Creed Valhalla

Como puderam perceber, o jogo tem seus altos e baixos, a história principal começa ótima, mas vai perdendo seu foco conforme se aproxima do fim, as missões secundárias são razoáveis, a exploração é ótima tirando os puzzles de moledros e anomalias, então vai 4,5 de 5 para o jogo.

Se você gosta de explorar e curte a história viking recomendo demais esse jog.o.

Agora, o próximo jogo que vou jogar é Palworld, então até a próxima review.

7 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page